Como foi o nosso Iberanime Lx 2018

0
Iberanime LX 2018
Iberanime LX 2018. Imagem: DR

Mais uma vez o Iberanime voltou à Altice Arena com a animação habitual, cosplay, concursos, videojogos e muitos fãs de todo o país e do estrangeiro. Este ano, a edição do Iberanime Lx 2018 foi marcada pelo aumento considerável de espaço de exposição. Uma área útil bem aproveitada, com palcos em todas as salas e sempre com alguma coisa para ver. Foram mais de 50 atividades, em 9 palcos, e 7 salas. Como habitual, fomos nos dois dias do evento, e contamos aqui a nossa experiência.

Iberanime LX 2018
Iberanime LX 2018. Foto: Actigamer

Este ano, a imprensa entrava no recinto por uma porta lateral onde levantámos a nossa acreditação. À entrada, foi-nos oferecido um guia do evento, com descrição das salas e programa, uma informação útil para o que se avizinhava. O acesso levou-nos diretamente à área central do pavilhão, onde tivemos a nossa primeira perceção do ambiente. A Altice Arena estava repleta de um público jovem que ansiosamente procurava as suas personagens favoritas nas muitas lojas de merchandise que ocupavam grande parte do recinto, com as populares figuras dos animes e manga mais conhecidos, posters, livros, peluches e gadgets.

Iberanime LX 2018
Iberanime LX 2018. Foto: Actigamer

O gaming também estava representado com a PlayStation, com os exclusivos PS4, como Detroit: Become Human, Gran Turismo Sport e God of War, e ainda o FIFA 18 e Tennis World Tour, além de um espaço dedicado à PlayLink. A Nintendo levou ao Iberanime um palco onde os visitantes eram desafiados com minijogos, numa demonstração das capacidades da Switch. A Xbox estava presente com um espaço de gaming onde os visitantes jogavam Fortnite. No fundo da arena, fomos convidados a conhecer um jogo de tabuleiro por um voluntário que nos explicou as regras. A área dos board games incluía uma espaço dedicado aos jogos de cartas, como o Yu-Gi-Oh!, Magic The Gathering e Pokémon.

Iberanime LX 2018
Iberanime LX 2018. Foto: Actigamer

Entre os muitos cosplayers que desfilavam por todo o recinto, com as suas criações trabalhadas ao longo do ano, encontrámos a Ana Rodrigues que já visita o Iberanime há 3 anos. Disse-nos que esta edição era a melhor de todas e que estava muito contente por terem alargado o espaço. Aproveitámos e conversámos também com o Diogo Santos, que participava pela primeira vez com um cosplay de Naruto, e nos confessou que algumas áreas do evento eram demasiado escuras, e que desejava que o evento durasse mais de dois dias, uma vez que não tinha tempo para acompanhar todas as atividades que lhe interessava.

Chegámos à Sala Tejo, este ano dividida em dois palcos: o Palco Omen, onde decorria o torneio de League of Legends, com a vitória dos For The Win, e o torneio de CS:GO, com os Hexagone a sagrarem-se campeões. O Rock in Rio também estava presente com um simulador de realidade virtual Motion Sphere, e algumas lojas de material informático. No Palco Maggi Fusian participámos nas divertidas coreografias de Para Para Dance, conhecemos os vencedores do World Cosplay Summit 2016, Frea Mai e Rian Cyd, o cosplayer canadiano Phil Mizuno e assistimos a uma apresentação Star Wars da Silver Blade Academy. Ao lado, no Auditório, decorria a conferência Viver e Estudar no Japão, promovida pela pela JPAG – Japan-Portugal Alumni Group.

Iberanime LX 2018
Iberanime LX 2018. Foto: Actigamer

A certa altura fomos interpelados pelo João da Maggi Fusian, que nos motivou a experimentar os típicos noodles tradicionais japoneses com vegetais e especiarias. Depois de satisfeitos, continuámos a nossa visita pelo andar superior da Sala Tejo, onde se encontrava o Palco Cultural. Dividido entre a Embaixada do Japão, a Origamigos, as massagens Reiki, e as Federações Nacionais de Ju-Jitsu e Sumo, ainda assistimos a uma demonstração da Dança Tradicional Japonesa da LanguageCraft.

A sala IA!Plus ficava imediatamente ao lado. À entrada, a Liga Steampunk de Lisboa convidava os visitantes a tirar fotos com alguns trajes que tinham à disposição. Ao lado, um enorme ringue foi palco de demonstrações de Wrestling, onde assistimos ao confronto de duas equipas da CTWrestling. Jedis da Star Wars – Silver Blade Academy percorriam a sala à procura de Siths, com espontâneas demonstrações de lutas com sabres de luz. No espaço Dragon ball, os fãs aglomeravam-se para tirar selfies com Quimbé, a voz de Champa na versão portuguesa de Dragon ball Super. Por fim, a Associação Portuguesa de Cosplay fazia-se representar, com a presença da sua presidente Leonor Grácias e outras cosplayers.

O acesso ao anel exterior da Altice Arena fazia-se por uma escada interior. Este é o primeiro espaço que o visitante tem acesso quando chega ao evento. Aqui encontrámos o jogo Strikers Edge, vencedor da 1ª edição dos Prémios PlayStation, e outros game developers independentes. Para os mais saudosistas, o espaço de retrogaming by Nostalgica era o local de eleição. Nada como jogar Super Mario na Nintendo 64, ou Sonic na Sega Mega Drive II. Ainda tivemos tempo de desafiar um Pikachu para uma partida de Pong na Atari. O corredor era preenchido por bancas de artistas que expunham as suas obras e davam autógrafos. Junto à saída, ainda assistimos a um concurso de cultura sobre anime e manga.

Iberanime LX 2018
Iberanime LX 2018. Foto: Actigamer

Antes de finalizar a nossa visita, fomos ao Palco Principal, onde, no sábado, decorria a final do Cosplay World Masters, com a vitória do espanhol Álvaro Palma (Eothen Cosplay), e no domingo o concerto da Riho Iida, e a entrega de prémios da eliminatória portuguesa do European Cosplay Gathering.

À saída, despedimo-nos do IA, a mascote do Iberanime, com o desejo de voltamos para o ano.

Vê mais sobre o Iberanime

Para enviar uma sugestão, tens de fazer ou .

Comentários

Ainda sem comentários!

  Subscrever  
Notificar: